• 18 Mar 2016

Aluno do 2º ano supera a média de medicina no Enem

Segundo lugar em Medicina na Uncisal (Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas), 5ª melhor nota entre os treineiros na Fuvest e uma média de 842,44 pontos no Enem. Esses são os resultados do Luís Felipe Catão em 2015, ainda no 2º ano do ensino médio. Atualmente no 3º ano da turma NAVE, o aluno Contato se prepara agora para repetir o desempenho e conquistar uma vaga na USP (Universidade de São Paulo).

Com sua nota no Enem 2015, Luís Felipe seria aprovado em primeiro lugar em medicina na UFAL (Universidade Federal de Alagoas) e poderia também já estar cursando na Uncisal, já que na estadual alagoana não há impedimento previsto em edital para alunos que ainda não concluíram o ensino médio, mas ele decidiu continuar os estudos porque seu principal objetivo é sim se formar médico, mas na USP. "O que realmente quero é estudar fora, é pra isso que estou me preparando", reforça.

Os treinos, no entanto, foram fundamentais para melhorar as notas e a autoconfiança, garante Luís Felipe. Aluno NAVE desde o 1º ano do ensino médio, quando escolheu estudar no Contato, ele vem fazendo simulados desde então. "Meu rendimento não foi tão bom nos primeiros simulados que fiz do Sistema Poliedro, mas consegui melhorar percebendo quais eram as minhas dificuldades", conta.

Já este ano, quando irá fazer o vestibular da Fuvest para concorrer a tão sonhada vaga em medicina na USP, o mais difícil é manter o foco em dois tipos de prova diferentes. " Me preparar para um vestibular específico e ainda garantir o básico, que é uma boa nota no Enem, vai ser o desafio desta vez", afirma Luís Felipe.  Para alcançar mais esta conquista, o aluno NAVE estuda com um material diferenciado do Sistema de Ensino Poliedro e ainda conta com o suporte dos professores. "Eles entendem que as minhas dúvidas são diferentes da maioria dos alunos e sempre estão disponíveis",  ressalta o estudante.

Dicas para vestibulando

Luís Felipe não tem horário fixo de estudos fora de sala de aula e não segue um planejamento restrito de conteúdo. "Tento focar nas exigências da Fuvest, como as obras de leitura obrigatória, mas no dia a dia eu estudo o que tiver com vontade",  conta. E ele acredita que não estudar por obrigação, mas sim por determinação é o segredo de seu ótimo desempenho nos vestibulares de 2015. 

Comentários